Skip to main content
Print Friendly, PDF & Email

ESA-IPVC a “fazer caminho há 38 anos”

Data de publicação

30/11/2023

Recordar o passado, projetar o futuro e homenagear os que fizeram e os que ainda fazem parte da instituição. Foi desta forma que a Escola Superior Agrária do Politécnico de Viana do Castelo (ESA-IPVC) celebrou, esta quarta-feira, o seu 38.º aniversário. A diretora da ESA-IPVC, Isabel Valín, salientou o caminho atento, ponderado e virado para o futuro que a Escola está a percorrer e a vice-presidente do IPVC, Ana Sofia Rodrigues, falou de uma Escola que tem feito um trajeto de extrema importância para o desenvolvimento da região.

Num discurso marcado pela radiografia feita à Escola, a diretora da ESA-IPVC, Isabel Valín, falou de uma instituição que vive dias de estabilidade e consolidação do seu número de alunos, tendo conseguido, no presente ano letivo, manter-se como a segunda Escola com maior atratividade do subsistema politécnico nacional. No entanto, o atual contexto demográfico e a perceção social de algumas das áreas de conhecimento lecionadas na ESA-IPVC deixam a direção da Escola com um olhar atento aos desafios futuros. Isabel Valín afirma que a Escola Superior Agrária do Politécnico de Viana do Castelo “tem feito caminho” e olha com particular atenção para a necessidade de alargamento da base de recrutamento, nomeadamente através da atualização e conversão de profissionais, do aumento de estudantes provenientes do ensino profissionalizante e da captação de estudantes estrangeiros.

Mas há outros sinais de que a ESA-IPVC “está a fazer caminho”, como exemplificou Isabel Valín de forma reiterada. A primeira edição da pós-graduação em “Uma Só Saúde”, um projeto partilhado com a Escola Superior de Saúde (ESS-IPVC), a submissão à A3ES, ainda este mês de novembro, em parceria com a Escola Superior de Ciências Empresarial (ESCE-IPVC), para a criação de um MBE em “Inovação e sustentabilidade em Bioengenharia”, o trabalho que está a ser feito para o surgimento do Centro de Tecnologia e Inovação em Sistemas Agroambientais e Alimentação ou a possibilidade de atribuição de dupla titulação com os mestrados em Engenharia Agronómica e Zootecnia, através de um acordo celebrado com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Brasil), são sinais claro e inequívocos de que a ESA-IPVC está a fazer o seu caminho. Um caminho que merece destaque e reconhecimento!

Vice-presidente do Politécnico de Viana do Castelo, Ana Sofia Rodrigues, deixa mensagem aos diplomados: “Continuam a ser os embaixadores da Agrária”

A vice-presidente do Politécnico de Viana do Castelo, Ana Sofia Rodrigues, docente na ESA-IPVC e, por isso, com uma forte ligação à Escola, ao seu corpo docente e não docente, fez um discurso muito centrado na instituição que se tem pautado por formar quadros altamente qualificados em áreas fundamentais, no entanto, muitas vezes pouco reconhecidas monetariamente, se comparadas até com outras engenharias. Mesmo assim, não deixou de se dirigir aos estudantes e aos estudantes-diplomados, apelando-lhes que continuem a ser “os embaixadores da Escola Superior Agrária do Politécnico de Viana do Castelo”.

A encerrar a sua intervenção, a vice-presidente do IPVC laçou uma série de desafios à Escola, destacando-se a necessidade de inovação pedagógica e tecnológica e a participação ativa na discussão do Plano Estratégico do Politécnico de Viana do Castelo para o quadriénio 2024/28.

O dia de aniversário da ESA-IPVC ficou também marcado pela homenagem a Manuel José Marinho Cardoso, docente da Escola desde 1988 recentemente aposentado. “Tu és o espírito agrário. És a alma desta Escola”, salientou Ana Sofia Rodrigues.

“Esta Escola é um marco na história recente de Ponte de Lima”, afirma vereador da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Gonçalo Rodrigues

Vereador da Câmara Municipal de Ponte de Lima e alumni da ESA-IPVC, Gonçalo Rodrigues falou com “alegria redobrada e até alguma nostalgia” quando defendeu que a Escola Superior Agrária do IPVC é “um marco na história recente de Ponte de Lima e até do Alto Minho”, enquanto instituição “basilar” no desenvolvimento do território onde se insere, através, não só da formação de profissionais altamente capacitados, mas também pelo contributos dados para o desenvolvimento económico e social do concelho de Ponte de Lima. Gonçalo Rodrigues encerrou dizendo que a ESA-IPVC assume ainda relevante papel na criação de postos de trabalho diretos e indiretos.

“Uma Escola que demonstra que é possível articular pedagogia com investigação, teoria com prática”, defende Associação de Estudantes da ESA-IPVC

 Já Mariana Barreto, vice-presidente da Associação de Estudantes da Escola Superior Agrária do Politécnico de Viana do Castelo, referiu-se à instituição como “uma Escola que demonstra que é possível articular pedagogia com investigação, teoria com prática. Uma Escola que conta com docentes e não docentes que assumem um papel de extrema relevância na formação dos estudantes”.

No dia de comemoração do 38.º aniversário da ESA-IPVC, houve também destaque para o domínio das ciências ambientais tanto na componente de ensino, como na componente de investigação, através da palestra “Realidades, Tendências e Desafios Societais à Investigação e Ensino das Ciências/Engenharia do Ambiente”, por Helena Freitas, cátedra da UNESCO para Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável.

A sessão ficou, ainda, marcada pelas atuações da TUNESA (Tuna Feminina da Escola Superior Agrária) e da TESA (Tuna da Escola Superior Agrária).

Atualizado em 30/11/2023