Skip to main content
Print Friendly, PDF & Email

Trabalho de três anos apresentado na OCDE

Data de publicação

24/11/2023

A cimeira internacional é uma plataforma para estimular discussões e partilhar ideias e ações inovadoras, destinadas a transformar a Educação no século XXI. O Politécnico de Viana do Castelo conta com contributos de uma vasta expressão da sua comunidade, entre docentes e estudantes.

O Politécnico de Viana do Castelo é a única instituição portuguesa a marcar presença na Cimeira da Criatividade na Educação, que acontece esta quinta e sexta-feira, na sede da OCDE, em Paris.

Trata-se de um encontro que inclui educadores, docentes, decisores políticos, investigadores e empresários de todo o mundo. Organizada conjuntamente pelo Centro de Investigação e Inovação Educacional da OCDE (CERI) e pelo Instituto Global de Pensamento Criativo (GIoCT), esta cimeira internacional dedica-se a explorar as últimas tendências, abordagens e práticas em matéria de pensamento criativo e crítico nas instituições de ensino superior.

Desde a sua criação, em 2019, a Cimeira da Criatividade na Educação tem sido uma plataforma para estimular discussões e partilhar ideias e ações inovadoras, destinadas a transformar a Educação no século XXI. A cimeira reúne um leque diversificado de intervenientes, que partilham um objetivo comum: promover a criatividade na e para a Educação.

O Politécnico de Viana do Castelo será a única instituição nacional presente neste evento, no qual irá apresentar os resultados de três anos de um trabalho que envolveu 28 docentes, as suas Seis Escolas Superiores e mais de 1400 estudantes.

Capacitação da comunidade académica, mudanças curriculares e pedagógicas e, ainda, a integração na rede da OCDE em matéria de intervenção pedagógica, elaboração de políticas, alterações curriculares e investigação. São estes os projetos do consórcio internacional. Tratou-se, afirma a pró-presidente do Politécnico de Viana do Castelo e representante do IPVC nesta cimeira, Ana Teresa Oliveira, de um projeto audacioso, mas “crucial para o desenvolvimento estratégico do IPVC”, cruzando-se com pilares fundamentais como o desenvolvimento profissional dos docentes, a inserção numa rede internacional de aprendizagem, a partilha de conhecimentos e o desenvolvimento de competências em matéria de pensamento crítico e criativo na comunidade académica. “Somos a terceira instituição com maior representatividade, o que espelha bem a envolvência de toda a comunidade do IPVC neste projeto”, aclara Ana Teresa Oliveira.

“Desenvolvemos metodologias de trabalho com os nossos docentes, tendo sido experimentadas diferentes formas de desenvolver criatividade e pensamento crítico nos estudantes. Foram reformulados cursos e unidades curriculares, que podem ser eventualmente integradas em diferentes ofertas formativas do IPVC. Agora, a convite da ODCE, apresentamos o trabalho que desenvolvemos”, esclarece Ana Teresa Oliveira. E acrescenta: “Propomo-nos a apresentar a forma como organizamos e como fortalecemos a comunidade IPVC, através da capacitação, e como é que os docentes trabalham as suas unidades curriculares, vocacionando, em cada área, para o ensino da criatividade e do pensamento crítico nos estudantes”.

O projeto envolve 25 instituições de ensino superior de todo o mundo, distribuídas por 13 países tão dispares como EUA, China, Reino Unido, Austrália ou Dinamarca. Trata-se de uma rede internacional bastante alargada de instituições de ensino superior que, ao longo deste período, trabalharam para agora apresentarem os seus contributos em matéria de criatividade e pensamento crítico.

Com

">VÍDEO.

 

Atualizado em 24/11/2023