Skip to main content

Lista de notícias

Startups e investidores juntos no IPVC

A Startup Portugal está a visitar todos os distritos e, na próxima terça-feira, faz paragem na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Viana do Castelo, que será palco, do SIM Circuit, um showcase que coloca no mesmo espaço incubadoras e investidores. O projeto é financiado pelo PRR. O “SIM Circuit”, showcase que junta startups, incubadoras e investidores, financiadas pelo PRR, chega à Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Viana do Castelo, já na próxima terça-feira. A iniciativa, promovida pela Startup Portugal, é uma oportunidade para a comunidade académica ficar a conhecer as boas-práticas de aplicação dos novos vouchers para startups e vales para incubadoras e aceleradoras. Simultaneamente, esta ação, que irá acontecer no Auditório Francisco Sampaio, na ESTG-IPVC, a partir das 14h30, afigura-se como uma ocasião para os participantes interagirem em primeira mão com as startups e as incubadoras em fase de arranque ou em processo de expansão, assim como conhecer potenciais parceiros ou investidores da região. A SIM Circuit, que está a percorrer todos os distritos nacionais até ao final do mês, além de divulgar as boas-práticas de aplicação daqueles instrumentos, pretende, também, apresentar a investidores privados os projetos que tiveram sucesso na captação de investimento através do PRR, potenciando-se a ligação entre investimento público e privado. Mais informações e inscrições AQUI. Confira o programa: 14h30 – Welcome Coffee 15h00 – Abertura: Fireside chat com IPVC e incubadoras locais 15h30 – Vouchers para Startups e Vales para Incubadoras e Aceleradoras: Resultados do Distrito 15h45 – Pitch Session: Startups Apoiadas | c/ Q&A & Feedback 16h15 – A Lei das Startups e Reconhecimento de Startup 16h30 – Investimento para Startups: Conheça o Deal-by-Deal apresentado pelo Banco Português de Fomento 16h45 – Encerramento 17h00 – Networking Cocktail

Programa Erasmus + | Food Chase

Food Chase tem como objetivo construir ecossistemas de cadeia alimentar sustentáveis e reduzir os elevados índices de desperdício, que vão desde a produção ao consumo. Num esforço conjunto para combater o desperdício alimentar em toda a Europa, o Politécnico de Viana do Castelo é um dos membros do Food Chase, um projeto financiado pelo Programa Erasmus+, e que tem a missão de construir ecossistemas de cadeia alimentar sustentáveis e reduzir os elevados índices de desperdício, que vão desde a produção ao consumo. Os dados mais recentes demonstram que o desperdício alimentar acontece em diferentes fases, desde a produção até ao consumo. Por isso, a luta contra este desperdício é uma batalha que requer esforços coordenados em todas as etapas da cadeia de abastecimento. O problema está identificado. É agora preciso encontrar soluções. E a chave reside na criação de fluxos eficientes de informação e na colaboração entre os diversos atores do setor alimentar. É a pensar nesta problemática que surge o Food Chase, projeto do qual o Politécnico de Viana do Castelo faz parte, e que teve o seu arranque na última semana, com um encontro em Viana do Castelo, juntando representantes dos 12 parceiros internacionais. O Food Chase – Food Supply-Chain Ecosystems for Sustainability é um projeto de cooperação internacional no âmbito do programa Erasmus+, que junta parceiros de Portugal, Itália, Grécia, Chipre, Turquia, Roménia e Suíça, e que demonstra o compromisso destas instituições na promoção da educação, da inovação e da sustentabilidade na indústria alimentar. O projeto, com a duração de três anos, assume como principal objetivo colocar à mesma mesa pensamento académico, conhecimento científico, organizações e empresas do setor, para que, juntos, encontrem soluções capazes de promover a sustentabilidade e apoiar a economia circular através da criação de Ecossistemas de Cadeia de Abastecimento Alimentar. Projeto de referência na União Europeia Numa fase inicial, o projeto irá centrar-se na criação de um “Quadro de Competências em Cadeia Alimentar”, que servirá como referência na indústria alimentar a nível da União Europeia. Este quadro será essencial para o desenvolvimento de currículos e guidelines inovadoras e experiências práticas destinadas a atualizar e a melhorar as competências dos profissionais do setor. Além disso, Food Chase visa também identificar uma nova figura profissional, “o Especialista em ‘Do Prado ao Prato’”, centrado na redução da pegada ambiental da cadeia de abastecimento alimentar.

Programa Erasmus + | Food Chase

Food Chase tem como objetivo construir ecossistemas de cadeia alimentar sustentáveis e reduzir os elevados índices de desperdício, que vão desde a produção ao consumo. Num esforço conjunto para combater o desperdício alimentar em toda a Europa, o Politécnico de Viana do Castelo é um dos membros do Food Chase, um projeto financiado pelo Programa Erasmus+, e que tem a missão de construir ecossistemas de cadeia alimentar sustentáveis e reduzir os elevados índices de desperdício, que vão desde a produção ao consumo. Os dados mais recentes demonstram que o desperdício alimentar acontece em diferentes fases, desde a produção até ao consumo. Por isso, a luta contra este desperdício é uma batalha que requer esforços coordenados em todas as etapas da cadeia de abastecimento. O problema está identificado. É agora preciso encontrar soluções. E a chave reside na criação de fluxos eficientes de informação e na colaboração entre os diversos atores do setor alimentar. É a pensar nesta problemática que surge o Food Chase, projeto do qual o Politécnico de Viana do Castelo faz parte, e que teve o seu arranque na última semana, com um encontro em Viana do Castelo, juntando representantes dos 12 parceiros internacionais. O Food Chase – Food Supply-Chain Ecosystems for Sustainability é um projeto de cooperação internacional no âmbito do programa Erasmus+, que junta parceiros de Portugal, Itália, Grécia, Chipre, Turquia, Roménia e Suíça, e que demonstra o compromisso destas instituições na promoção da educação, da inovação e da sustentabilidade na indústria alimentar. O projeto, com a duração de três anos, assume como principal objetivo colocar à mesma mesa pensamento académico, conhecimento científico, organizações e empresas do setor, para que, juntos, encontrem soluções capazes de promover a sustentabilidade e apoiar a economia circular através da criação de Ecossistemas de Cadeia de Abastecimento Alimentar. Projeto de referência na União Europeia Numa fase inicial, o projeto irá centrar-se na criação de um “Quadro de Competências em Cadeia Alimentar”, que servirá como referência na indústria alimentar a nível da União Europeia. Este quadro será essencial para o desenvolvimento de currículos e guidelines inovadoras e experiências práticas destinadas a atualizar e a melhorar as competências dos profissionais do setor. Além disso, Food Chase visa também identificar uma nova figura profissional, “o Especialista em ‘Do Prado ao Prato’”, centrado na redução da pegada ambiental da cadeia de abastecimento alimentar.

Pessoal Investigador

A cerimónia contou com a presença da ainda Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, e decorreu na passada segunda-feira, 25 de março, na Sala do Senado da Reitoria da Universidade de Coimbra. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior criou um mecanismo de financiamento para apoiar a contratação de doutorados para a carreira de investigação científica em Instituições de Ensino Superior (IES) públicas, com uma dotação de 20 milhões de euros, verba adicional às dotações orçamentais já atribuídas às Instituições de Ensino Superior, destinada a apoiar a contratação por tempo indeterminado de doutorados exclusivamente para a carreira de investigação científica. O Instituto Politécnico de Viana do Castelo foi uma das instituições a rubricar este contrato de forma a garantir este financiamento, que vai assegurar a contratação de doutorados para a carreira de investigação científica. Carlos Rodrigues, presidente do IPVC, realça a importância desta linha de financiamento “uma vez que vai possibilitar ao IPVC iniciar a contratação de doutorados para a carreira de pessoal investigador”, reiterando que, “ao garantir condições e recursos necessários para os investigadores, vamos certamente ter uma maior qualidade na investigação que é produzida nas IES”. O montante a atribuir por cada IES “será proporcional ao número de investigadores contratados por estas”, sendo “elegíveis para financiamento todos os concursos para a carreira de investigador cujos procedimentos — através da publicação dos respetivos editais — se tenham iniciado a partir de 31 de julho de 2023 e até ao final do primeiro semestre de 2024. No caso dos contratos iniciados antes de 1 de janeiro de 2024, o financiamento apenas se verificará a partir desta data”.
Atualizado em 05/04/2024

Arquivo

Desculpe, não há resultados que correspondam à sua pesquisa.
Tente pesquisar um termo diferente ou use os filtros disponíveis para navegar.