Escolas Superiores Portais
ESEESAESTGESSESCEESDL MULTIMÉDIAINTERNACIONAL
Escola Superior de Educação
Escola Superior Agrária
Escola Superior de Tecnologia e Gestão
Escola Superior de Saúde
Escola Superior de Ciências Empresariais
Escola Superior de Desporto e Lazer
SASOTICEMPREGO
 
   
 

Exposição de Francisco Trabulo

Exposição de Francisco Trabulo

3 a 31 dezembro ’19

Exposição de Francisco Trabulo estará patente na Oficina Cultural do Politécnico de Viana do Castelo até 31 de dezembro

REPRESENTAÇÃO DA DOR: Apropriação e evocação icónica dos media

As salas do Centro Académico do IPVC vão acolher as pinturas de Francisco Trabulo, docente da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, de 03 a 31 de dezembro. A exposição, “REPRESENTAÇÃO DA DOR: Apropriação e evocação icónica dos media” reúne algumas das pinturas do artista. Esta exposição é composta por um corpo de trabalho prático (27 projetos de pintura) — alguns deles serão realizados pelo pintor no espaço da Exposição durante o período em que esta se encontra patente ao público.  A exposição, organizada pela Oficina Cultural, é inaugurada no dia 3 de dezembro pelas 16h no Centro Académico do IPVC. Esta exposição é composta por um corpo de trabalho prático (27 projetos de pintura) - alguns deles serão realizados pelo pintor no espaço da Exposição durante o período em que esta se encontra patente ao público. 

A Exposição
Perante o dilúvio imenso de imagens mecânicas de dor (fotográficas e fílmicas) que constantemente assola as nossas vidas, olhamos a maior parte das vezes para elas com desinteresse quando na realidade nos deveriam fazer parar e fazer refletir, mais que não fosse, sobre qual o nosso grau de responsabilidade, enquanto cidadãos do mundo, no contributo que prestamos à manutenção do ‘status quo’ que convive passivamente com as arbitrariedades evidenciadas nas imagens das notícias,  como por exemplo, a guerra, a tortura, a morte, a violência, as injustiças sociais, o racismo, etc., e que tanto fazem sofrer seres humanos como nós que se encontram perto ou em locais distantes dos que habitamos neste mundo cada vez mais globalizado.

Estas imagens surgem frequentemente em contextos que as tornam reféns das notícias veiculadas pelos media onde ficam niveladas, em grau de importância, com outro tipo de imagens que as contaminam visualmente (contribuindo seriamente para a sua banalização) nas páginas de um jornal, de uma revista, numa página digital na internet, num telemóvel: imagens de publicidade, de eventos de entretenimento, de propaganda política, de desporto, etc.

Como contribuição para uma reflexão/reformulação das imagens de dor veiculadas pelos media, decidiu-se aprofundar as possibilidades da pintura através da realização de projetos práticos de pintura. Para isso optou-se pela apropriação de imagens de dor (fotográficas e fílmicas) divulgadas pelos jornais, revistas, televisão, internet, etc., e o seu “cruzamento” com imagens originárias do passado da cultura visual ocidental (pintura, escultura, desenho, gravura, etc.), recuperando o estatuto do quadro/tableau e a sua aproximação à “forma-quadro religioso” - derivada de arquétipos formais do retábulo de altar cristão – procurando deste modo “densificar” a imagem de dor e aumentar a sua “duração” e “presença” perante o espectador-recetor.

Com a utilização do “formato-quadro religioso” em conjugação com a acentuação formal figurativa de “reminiscências” da iconografia cristã da dor, na elaboração dos projetos de pintura, pretendeu-se:

  1. Contextualizar imagética de dor (fotográfica e fílmica) apropriada dos media, no seio da densidade histórica da arte ocidental;
  2. Operacionalizar relações de semelhança entre imagens de dor de épocas históricas diversas acentuando a “intemporalidade” de certas formulas expressivas;
  3. “Libertar” as imagens de dor dos media de algumas das amarras que as subjugam à indiferença dos espectadores contemporâneos: “recorta-las” do “real” das notícias de modo a encontrarem uma nova “vida” através da pintura.

Nota: durante o período da exposição o pintor, Francisco Trabulo, estará presente na Galeria, em todas as 2ª e 6ª feira de tarde, para explicações sobre os métodos e práticas oficinais utilizadas na conceção e elaboração dos vários projetos de pintura expostos.

 

Última atualização: 
28.11.2019
 

Hiperligações

Download

Imagens

Exposição de Francisco Trabulo

Partilhar

 
 
 
 
 
 
 

Em destaque

EM AGENDA

D S T Q Q S S
 
 
 
 
 
 
1
 
2
 
3
 
4
 
5
 
6
 
7
 
8
 
9
 
10
 
11
 
12
 
13
 
14
 
15
 
16
 
17
 
18
 
19
 
20
 
21
 
22
 
23
 
24
 
25
 
26
 
27
 
28
 
29
 
Format: 2020-02-22
Format: 2020-02-22