Escolas Superiores Portais
ESEESAESTGESSESCEESDL MULTIMÉDIAINTERNACIONAL
Escola Superior de Educação
Escola Superior Agrária
Escola Superior de Tecnologia e Gestão
Escola Superior de Saúde
Escola Superior de Ciências Empresariais
Escola Superior de Desporto e Lazer
SASOTICEMPREGO
 
   
 

Sistemas de Informação Geográfica

Sistemas de Informação Geográfica

Apresentação

Grau: 
CET
Regime: 
Normal | Diurno
Escola: 
ESA - Escola Superior Agrária
Local: 
Mosteiro de Refóios, Ponte Lima
Duração: 
1620 horas
N.º de vagas do curso: 
24
Coordenador: 

Prof. Mestre Joaquim Mamede Alonso
E-mail: malonso@esa.ipvc.pt
 

NOTA: Este CET Não abre vagas para o ano letivo 2014/15.

No conjunto das diversas áreas de aplicação o uso e o desenvolvimento dos SIG revelam-se como elementos centrais e condutores dos processos de desenvolvimento e da gestão ambiental. Estes instrumentos e as tecnologias associadas permitem recolher e armazenar dados para a caracterização; integrar informação temática para diagnóstico e análise territorial e editar os resultados para promover recursos e actividades e divulgar resultados. As limitações ao potencial dos SIG, relacionam-se com a quantidade e a qualidade dos dados de base, com as competências/interesse dos actores envolvidos e o nível do desenvolvimento das metodologias dos modelos geográficos.
A análise de diversos projectos e casos práticos concretos revela que, actualmente, a aplicação dos SIG incide, maioritariamente, na caracterização de recursos e de processos. Quando utilizados em fases posteriores, a exploração da componente analítica acompanha uma tendência geral para o apoio ao planeamento estratégico. Este facto poderá relacionar-se com a generalização implícita a uma visão de longo prazo e a integração dos objectivos dos diversos actores presentes. A aplicação dos SIG na monitorização, em processos complexos de análise e de simulação para fundamentar as decisões de carácter táctico e operacional, embora em crescente, apresentam ainda um uso bastante restrito.
Os SIG permitem o apoio à realização de estudos e suportam a acção-decisão, desde uma fase de caracterização até à avaliação da diversidade de necessidades e oportunidades presentes. Actualmente as tecnologias e as ciências de informação geográfica são principalmente utilizadas: na caracterização de parâmetros e análise de processos ambientais; na gestão de recursos naturais; no apoio ao planeamento e ordenamento; na avaliação de processos económicos, sociais e demográficos; na protecção civil, no apoio à navegação, em actividades militares, na gestão de actividades de recreio e lazer, no comércio, na gestão de redes viárias, de energia e telecomunicações e cadastro.
No quadro de organização dos sistemas territoriais, continua a verificar-se o domínio das técnicas de informação geográfica por um número limitado de indivíduos. Esta realidade não favorece a divulgação destes métodos e resulta por norma, num grande afastamento entre os técnicos e os utilizadores regulares e directos, que continuam a reduzir-se, na prática, aos decisores de carácter técnico-político e um conjunto limitado de investigadores. Neste caso a sociedade no geral, assume cada vez mais o papel de produtor (in)directo de dados espaciais e utilizador passivo de informação georreferenciada. Este relativo (des)conhecimento determina uma tendência numa fase inicial de formação para exagerar as potencialidades da informação geográfica e descurar os métodos, em sentido inverso ao ênfase colocado nas tecnologias e nos resultados gráficos.

Última atualização: 
03.07.2014
 

Hiperligações

Download

Partilhar

 
 
 
 
 
 
 

Em destaque

EM AGENDA

D S T Q Q S S
 
1
 
2
 
3
 
4
 
5
 
6
 
7
 
8
 
9
 
10
 
11
 
12
 
13
 
14
 
15
 
16
 
17
 
18
 
19
 
20
 
21
 
22
 
23
 
24
 
25
 
26
 
27
 
28
 
29
 
30
 
31
 
 
 
 
Format: 2019-07-16
Format: 2019-07-16