Escolas Superiores Portais
ESEESAESTGESSESCEESDL MULTIMÉDIAINTERNACIONAL
Escola Superior de Educação
Escola Superior Agrária
Escola Superior de Tecnologia e Gestão
Escola Superior de Saúde
Escola Superior de Ciências Empresariais
Escola Superior de Desporto e Lazer
SASOTICEMPREGO
 
   
 

A empregabilidade esteve em discussão

Foto (esq. p/ dir.): José Maria Costa, Presidente da CM Viana do Castelo, Rui Teixeira, Presidente do IPVC, e João Ferreira, Vice-Diretor do GAF

Debate concluiu que “estudar faz toda a diferença”

A empregabilidade esteve em debate na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Viana no seminário sobre os Desafios do Emprego Jovem

“Estudar faz toda a diferença”

Vários especialistas de conceituadas empresas asseguraram ontem [02.03.2017] que o mercado de trabalho valoriza quem tem formação académica e experiências no mercado de trabalho ao longo do seu período de formação.

“Desengane-se quem pensa que estudar não faz a diferença”, começou por afirmar Rui Marques, do consórcio Maior Empregabilidade, durante o seminário dos desafios do emprego jovem que decorreu ontem na Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Viana do Castelo [ESTG-IPVC].  Rui Marques revelou estudos que comprovam que quem estudou tem uma maior taxa de empregabilidade. Uma taxa que aumenta se os estudantes forem tendo experiências no mercado de trabalho, mesmo que as mesmas aconteçam em empresas de familiares.

Este responsável desafiou os estudantes a fazerem perguntas quando procurarem emprego. “Devem perguntar se vão ou não acrescentar valor à empresa a que se candidatam e se vão resolver problemas ou criar problemas. Nenhuma empresa quer nos seus quadros pessoas que criem problemas. Outras das questões que deve ser colocada é se é ou não confiável. Uma outra questão importante que deve ser colocada por quem está à procura de emprego e tendo em conta um futuro que se avizinha é em que é que o candidato difere de um Robot. Aqui não se pretende que se comparem a um robot, mas sim que expliquem de forma simples onde é que são diferentes”.  Em conversa com os estudantes Rui Marques finalizou a sua intervenção, fazendo uma comparação entre a empregabilidade e o fazer Surf. “Quem procura emprego deve ir ver alguém fazer Surf. No surf está lá tudo quanto à empregabilidade, aos saberes e às competências. Sem prancha não há surf. Sem as instituições de ensino superior e neste caso sem o IPVC não há formação académica. Fazer surf não é só o gozo de fazer a onda é o tempo que se tem que nadar até chegar à onda, é o tempo que se tem que esperar pela onda certa que nos vai permitir fazer a grande onda”. E contextualizou com o panorama atual. “Por exemplo quantas vezes esta geração é referenciada pela dificuldade em lidar com questões como a paciência, persistência, resiliência e adversidade. Ora nós na vida temos que saber fazer surf, saber que é preciso ter paciência. Vejam que todos os surfistas usam fato. E porquê? Porque sabem que fazem surf por muito mais tempo se o tiverem, caso contrário o frio vai obrigá-los a terminar mais cedo. Na vossa vida há uma coisa que se chama fato, são os vossos amigos, a vossa família que vos apoia nesta missão dura e difícil num tempo em que o emprego não está garantido, mas que se souberem superar este desafio do fazer surf o sucesso será certo”.

Do painel de oradores saiu uma certeza. O mercado valoriza cada vez mais os estudantes que apostam em ter experiências profissionais ao longo da sua formação.  O mesmo foi reforçado por Tiago Brandão da GRACE que sublinhou que “é um dos objetivos da associação acelerar as experiências no mercado de trabalho, ainda durante a formação”, realçando que por parte das empresas “já não há desculpa para que não acolham estes estudantes”.

A mesma tónica foi seguida por Hugo Costa da ANJE que realçou a relevância das chamadas soft skills e da importância do ser empreendedor. Este responsável deu ainda uma série de dicas aos estudantes sobre como atuar e que atitude adotar.

Florbela Correia, vice-presidente do IPVC, apresentou os programas de incentivo ao empreendedorismo e estágios que estão em vigor no IPVC, incentivando os estudantes a participarem e a procurarem todas as oportunidades que, quer a instituição, quer o mercado vão oferecendo.

No final os estudantes tiveram a oportunidade de ouvir os responsáveis pelo departamento de recursos humanos de várias empresas falar do que procuram nos profissionais e como fazem o recrutamento.

Última atualização: 
03.03.2017
 

Imagens

Foto (esq. p/ dir.): José Maria Costa, Presidente da CM Viana do Castelo, Rui Teixeira, Presidente do IPVC, e João Ferreira, Vice-Diretor do GAF

Imagens

A empregabilidade esteve em discussão

Imagens

A empregabilidade esteve em discussão

Partilhar

 
 
 
 
 
 
 

Em destaque

EM AGENDA

D S T Q Q S S
 
 
 
 
 
 
1
 
2
 
3
 
4
 
5
 
6
 
7
 
8
 
9
 
10
 
11
 
12
 
13
 
14
 
15
 
16
 
17
 
18
 
19
 
20
 
21
 
22
 
23
 
24
 
25
 
26
 
27
 
28
 
29
 
30
 
31
 
 
 
 
 
 
Format: 2017-07-25
Format: 2017-07-25

Próximos Eventos